Archive | January, 2015

Hola, Brasil

14 Jan

Hoje fui na minha bicicleta verde até a biblioteca. Na volta, passei pela granja e comprei meus iogurtes preferidos. Acontece que neste último mês, os trajetos mais simples têm tido um quê nostálgico. Uma saudade antecipada de algo que em breve não será mais assim.

Isso vale para sabores, paisagens e qualquer coisa cotidiana que, por ser rotineira, já passava despercebida. É porque chegou a hora de voltar. Não exatamente “para casa”, porque agora, “casa” se torna mais um sentimento do que um lugar. Porém, é sempre um voltar: para as pessoas, os sabores e as paisagens, antes tão familiares.

Mas já que voltar significa recomeçar, os olhos nostálgicos também brilham de vontade. Estão prontos para escanear o que virem pela frente, junto com o coração, que aprendeu a viver na distância mas só precisa de um abraço para amolecer. Nova vida, num velho novo mundo.

Poucos dias para o reencontro. Reconhecer-te-ei?

Dois anos e meio nos separam, um tempo que vai além do que o relógio pode marcar. Porque ele não pode contar o que passa na gente por dentro – enquanto ele passa. Talvez, estejamos diferentes. Ouvi falar de você daqui de longe, boas e más notícias. A maior ansiedade é a de descobrir quem sou, dentro das suas entranhas novamente.

De repente, a bicicleta verde não será mais minha. Dela ficam apenas os lugares a que me levou, abrindo caminho para novos tons.

Advertisements