Archive | August, 2011

Sete vidas, uma vida

12 Aug

Quantas coisas a gente quer fazer na vida e fica adiando? Existe uma palavra específica para isso, que até o final do texto eu lembro. Estou assustada como o tempo tem passado rápido, e o que acontece é que, um belo dia, você vai olhar e a vida foi.

Sempre lembro da ameaçadora frase “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”, que faz parzinho com aqueles e-mails que dizem para você usar as taças de cristal no dia a dia e não ficar guardando para um momento especial. Especial é hoje, afinal você está vivo.

Dieta, mudar de emprego, entrar para a dança do ventre, morar fora, fazer um trabalho voluntário, dizer eu te amo para os seus pais. Por que não agora? De repente vem a notícia do Reynaldo Gianecchini aos 38 anos com câncer. Novo, saudável, forte, mas a vida não é uma planilha de Excel.

Aí apareceu um gatinho pra gente adotar. Já tinha pensado e repensado o assunto durante meses. Acontece que se pensar demais, a gente não faz. Coisa rara para uma virginiana, vendo aquele bichinho ali, a decisão foi rápida: viver isso já!

Agora, o Ernesto faz parte da família. E não tem preço quando acordo de manhã e ele ronrona no meu pescoço. Ensiná-lo a beber água, vê-lo escalar meu roupão no cabideiro – e depois miar por socorro lá de cima. Lutar com seu tamanduá de pelúcia, comer, correr, e depois dormir. Dá trabalho, mas quanto amor também.

Em outro texto em que discuti sobre ter filhos, disse que talvez o gato viria primeiro. E que bom que a gente deixou ele vir.

PS: A palavra é “procrastinar”, mas só lembrei com a ajuda da minha amiga Cris.

Advertisements