Dúvida cruel

2 May

Ter ou não ter, eis a questão. Sim, um filho, saído das suas entranhas, pequeno ser em que você vai se reconhecer, que vai criar, amar, nada mais nada menos do que para sempre.

Casou, começou: e o bebê? Ninguém pensa que é bom viver em forma de casal, a dois, simplesmente, sem hora para acordar, para almoçar, sair à noite, voltar de madrugada, viajar de mochilão, se perder pelo mundo?

E digamos que você quer ter. Mas quando? Tem gente que sonha, e no sonho vem até o nome. Dizem: quando for a hora você vai saber. Será que toca um sininho na cabeça sussurrando vamos lá, vamos lá!?!

Outra dúvida: quantos? Penso um. Aí vem alguém dizer que é egoísmo, que a criança vai ser solitária. Primeiro: ter irmãos não garante que eles serão amigos. Amo meus irmãos, mas nem sempre é assim. Segundo: os preços exorbitantes de um bom jardim da infância – quem dirá o ensino médio e a faculdade. Terceiro: famílias com uma prole de dois ou mais me dá desespero só de olhar. Um faz birra, o outro chora, o outro esperneia e os pais não sabem quem acudir – talvez eles mesmos. Assistir Supernanny também contribui com o terrorismo. Se o caso é aumentar a família, podemos ter um gato, ué.

Egoísta é ter um filho para depois ter quem cuide de você. Comece já um plano de previdência, oras.

Não quer dizer que eu não me derreta quando passa um bebê. Que eu não pense em nomes, de menino e menina. Que eu não brinque com meus priminhos e me surpreenda com tiradas incríveis. Mas a idade biológica ainda me concede uns anos de divagação. Acho que o gato virá primeiro.

Advertisements

4 Responses to “Dúvida cruel”

  1. Marilene Furtado May 4, 2011 at 1:44 pm #

    Dúvida cruel

    Ter um filho sempre gera uma dúvida. Principalmente nos dias de hoje , com tanta violência por todo o mundo.
    Mas, apenas o casal pode decidir quando é o momento melhor para ele, se é que querem ter um filho.
    Só que,muitas vezes, quem decide mesmo é Deus, e, de repente, não mais que de repente, surge a novidade.
    Acho que estou grávida?!?!?!
    É isso aí. Deixem de lado os questionamentos dos outros.
    Aguardem o seu momento. Ele virá por vocês ou por Deus.

  2. juão May 4, 2011 at 5:27 pm #

    Muito legal, Juju.
    Seus textos têm grife e simplicidade.
    Isso é o que define quem é e quem não é do ramo. Você é.
    Bjs.
    Juão

    • Juliana Furtado May 4, 2011 at 5:56 pm #

      Johnny! Um elogio de alguém que É do ramo como você é um p… elogio! Valeu! Beijos, Ju

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: